Inscrições prorrogadas até 18 de março para roda de conversa online com indígenas de seis etnias

Os “Encontros Digitais de Diálogo com os Indígenas” fazem parte do projeto “Sabedorias Indígenas em Ação”, iniciativa da Organização da Sociedade Civil (OSC) Thydêwá e do diretor de cinema Sebastian Gerlic, que visa contribuir com a salvaguarda dos patrimônios culturais imateriais indígenas e promover a difusão dos mesmos como forma de valorizar a diversidade em diálogo como caminho para coesão social e a paz. Durante os Encontros Digitais vários dos indígenas envolvidos no projeto audiovisual que registrou 20 documentários de curta duração com as etnias Tupinambá, Pataxó, Pataxó Hãhãhãe, Ymboré, Pankararu e Kariri Xocó, se dispõem a dialogar com o público, contando com uma facilitação pedagógica desenhada especialmente para a iniciativa. Os grupos ou pessoas interessadas podem fazer a inscrição até o dia 18 de março, preenchendo o formulário (https://bit.ly/3uugfJi). Os encontros serão realizados na plataforma Zoom de 1° a 10 de abril. Os horários serão definidos com cada grupo de inscritos.

Serão 10 encontros, cada um terá entre 40 e 90 minutos, contando com a participação de indígenas convidados e alguns vídeos produzidos em 2021 de acordo com o tema que será abordado em cada encontro. O público alvo são grupos de interessados no tema das sabedorias indígenas, sejam alunos de uma escola, universidade ou curso, amigos ou frequentadores de um cineclube, ponto de cultura, centro ou associação.

A iniciativa surge de uma parceria entre a Organização da Sociedade Civil (OSC) Thydêwá que foi contemplada pelo edital de Chamamento Público “Preservação das Matrizes Identitárias Jaime Sodré 2020” e o diretor de cinema Sebastián Gerlic, contemplado pelo Prêmio de Preservação dos Bens Culturais Populares e Identitários da Bahia Emília Biancardi 2020, ambos os chamamentos são do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI). 

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do CCPI (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Motivados por objetivos em comum, a OSC Thydêwá e Gerlic construíram uma parceria que vai superar os resultados que cada projeto teria atingido isoladamente. Trabalhando os projetos de forma sinérgica, a equipe percorreu mais de 5.000 quilômetros durante o mês de filmagens, realizando 24 entrevistas com 24 indígenas pertencentes a seis etnias diferentes. Na parceria estão também envolvidos mais de 12 profissionais da Bahia, as produtoras Efeito Coletivo Audiovisual e Novo Ciclo Produções, e seis comunidades indígenas, sendo quatro da Bahia, uma de Pernambuco e uma de Alagoas; todos somando esforços para promover um novo olhar sobre os indígenas e o mundo.

“Para nós da Thydêwá é muito importante contar com o apoio do governo que, através de seu chamamento público – Preservação das Matrizes Identitárias Jaime Sodré – fomenta os próprios indígenas a atuarem na preservação e salvaguarda de nossas culturas. Com a aprovação do nosso projeto “Sabedorias Indígenas” o CCPI está contribuindo para que nós indígenas possamos melhor divulgar nossas visões de mundo e assim fomentar que os indígenas, as pessoas que têm ascendência indígena e o público em geral possam valorizar a nossa identidade”, destaca a indígena e sócia da OSC Thydêwá, Maria Pankararu.

O diretor cinematográfico dos curtas Sebastián Gerlic comemora a parceria e diz que “ser contemplado com o Prêmio Emília Biancardi, que visa fomentar a Preservação dos Bens Culturais Populares e Identitários, foi muito relevante para mim, já que poucas políticas públicas têm atendido essa temática. Eu pensei em aproveitar as tecnologias digitais para promover pontes entre Mestras e Mestres indígenas e o grande público. Fazer uma parceria com a OSC Thydêwá veio fazer com que o projeto premiado crescesse muito. Desenhamos juntos ações de interação com a população para promover o diálogo na diversidade. Contamos com mais de 10 indígenas dispostos a usar a internet para mostrarem seus vídeos e dialogarem com o público. Criamos uma campanha que apelidamos juntos: “Sabedorias Indígenas em Ação”.

Nhenety Kariri-Xocó, indígena e sócio da OSC Thydêwá comentou sobre a importância dos curtas para a circulação dos saberes da cultura indígena. “Fazer vídeos é muito bom para conectar diversidades e para partilhar conhecimentos. As mensagens que estão na série de vídeos foram feitas com nossos corações, facilitando ao mundo reconhecer nossas “Sabedorias Indígenas”.

No mês de janeiro de 2021 foram realizadas as entrevistas com diferentes gerações de indígenas como: crianças, jovens, adultos e anciãos, dentre os quais dois caciques, um pajé e vários professores indígenas, homens e mulheres. Os próprios indígenas apresentaram suas opiniões, visões e sentimentos sobre temas diversos como: a pandemia e outros males que assolam a sociedade, os conhecimentos tradicionais, o estilo de vida indígena, a espiritualidade indígena entre outros. Atualmente os parceiros estão editando alguns curtas metragens que facilitarão a promoção de diálogos entre indígenas e o grande público. 

Os indígenas apresentam sabedorias e valores ancestrais que praticam no cotidiano, são patrimônios culturais imateriais estratégicos para lidar com a crise global em todas suas dimensões desde a climática, a econômica, a social e a espiritual. “A ideia é compartilhar essas práticas entre indígenas e não indígenas favorecendo um diálogo intercultural sobre o mundo que queremos. Neste momento do projeto estamos agendando com os interessados os encontros digitais de diálogo, uma oportunidade importante para o crescimento enquanto pessoas e sociedade”, destaca o diretor cinematográfico dos curtas Sebastián Gerlic.

Serviço: Encontros Digitais de Diálogo com os Indígenas

Data: 1° a 10 de abril de 2021.

Inscrições: até o dia 18 de março via link (https://bit.ly/3uugfJi). 

Local: plataforma Zoom

Fotos:https://drive.google.com/drive/folders/1JZeXV66aH9pf6hAjce8xf_pjoXzj_eTk